• Carregando...
O diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos, e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino
O diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos, e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino| Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O registro de uma transmissão ao vivo feita pela equipe do deputado federal André Fufuca (PP-MA) na última quarta-feira (13), quando o parlamentar assumiu o comando do Ministério do Esporte, mostra uma conversa próxima entre Fufuca e o ministro da Justiça, Flávio Dino. Após dar um abraço parabenizando o deputado, Dino diz: “Dinheiro não tenho, mas agora a Polícia eu tenho”.

A Polícia Federal (PF) é uma instituição subordinada ao Ministério da Justiça, porém é um órgão de Estado, não de um governo em específico. O atual diretor da PF, nomeado pelo presidente Lula (PT), é ex-chefe de segurança do petista.

Esta não é a primeira vez que o ministro sugere interferência na atuação da Polícia Federal. No início de setembro, Dino chegou a dizer que a PF estaria “a serviço da ‘causa’ de Lula”.

“Essa Polícia Federal, hoje, toda ela, está a serviço de uma única causa, que é a sua causa, a causa do Brasil. Nós abolimos tentações satânicas de espetacularizações, de abusos, de forças-tarefas ilegais”, declarou, olhando em direção a Lula, ao discursar ao lado do presidente na cerimônia de encerramento dos cursos de formação profissional da PF no dia 5 de setembro.

Veja abaixo o vídeo com a nova fala do ministro direcionada a Fufuca, que foi compartilhada nas redes sociais do deputado federal Nikolas Ferreira (PL-M).

No início desta tarde, o ministro divulgou uma nota na tentativa de justificar a declaração dada ao novo ministro do Esporte. No texto, Dino acusou os críticos de tirarem a fala de contexto e disse que estava se referindo a um programa de segurança nos estádios que deverá ser desenvolvido em parceria com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Segundo o ministro, caberá à pasta do Esporte providenciar o dinheiro para o programa, enquanto o Ministério da Justiça ficará responsável pelo policiamento.

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]