• Carregando...
Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping, iniciaram nesta segunda-feira (20) sua reunião informal no Kremlin com a iniciativa chinesa de paz para a Ucrânia
Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping, iniciaram nesta segunda-feira (20) sua reunião informal no Kremlin com a iniciativa chinesa de paz para a Ucrânia| Foto: Reprodução/Kremlin

Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping, iniciaram nesta segunda-feira (20) sua reunião informal no Kremlin com a iniciativa chinesa de paz para a Ucrânia sobre a mesa e os olhos da comunidade internacional focados nessa visita de Estado, que representa uma espécie de frente comum contra o Ocidente.

Os dois mandatários, que apareceram sentados um ao lado do outro no Kremlin, segundo imagens divulgadas pela televisão pública russa, tiveram primeiro um encontro "face a face" e depois continuarão a reunião informal com um jantar.

Putin deu as boas-vindas a Xi parabenizando-o por sua reeleição como presidente da China.

"Tenho certeza de que, sob sua liderança, a China dará mais passos em seu desenvolvimento e alcançará as metas que estabeleceu", enfatizou.

Putin acrescentou que Rússia e China "têm muitas tarefas e objetivos conjuntos", e elogiou ainda a "grande atenção que Xi reserva ao desenvolvimento das relações russo-chinesas".

O presidente russo também considerou que Pequim sempre adota uma "posição justa e equilibrada diante dos problemas internacionais mais prementes".

Nesse sentido, declarou a Xi que discutirá com ele o plano de paz chinês para acabar com a guerra na Ucrânia.

"Estudamos cuidadosamente suas propostas para resolver a grave crise na Ucrânia. Claro que teremos a oportunidade de discutir isso", disse Putin.

Postura ambígua

A China vem mantendo uma postura ambígua em relação à guerra, defendendo a integridade territorial da Ucrânia, por um lado, e alegando levar em conta as preocupações de segurança da Rússia, por outro.

A iniciativa de paz da China foi recebida pela Rússia com um pé atrás, uma vez que respeitar a integridade territorial significaria devolver os territórios ocupados à Ucrânia, enquanto Kiev considera que o plano chinês carece de lógica e está cheio de contradições, porque não deveria levar em conta os interesses do país agressor.

Putin destacou que, em geral, a interação da Rússia e da China na arena internacional "contribui para fortalecer os princípios fundamentais da ordem mundial e da multipolaridade".

O presidente russo afirmou ainda que os dois países têm muitos assuntos a discutir no campo da cooperação econômica.

“Amanhã poderemos falar sobre isso com a participação dos nossos parceiros e colegas” em um encontro em formato ampliado com as respectivas delegações, salientou.

Xi, por sua vez, se disse "muito satisfeito" com o convite de visitar a Rússia, especialmente logo após sua reeleição.

O presidente chinês, que chamou Putin de "querido amigo" durante seu discurso de abertura, frisou que a China "valoriza muito as relações com a Rússia", uma vez que têm “lógica histórica" ​​como os maiores vizinhos e parceiros estratégicos.

Xi comentou ainda que a Rússia, sob a liderança de Putin, fez "conquistas significativas".

"No ano que vem vocês realizarão eleições (presidenciais). Tenho certeza de que o povo russo irá apoiá-lo", afirmou Xi ao seu anfitrião.

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]