• Carregando...
Donald Trump
Donald Trump, em foto tirada em Las Vegas, Nevada, no dia 8 de fevereiro de 2024| Foto: EFE/EPA/JOHN MABANGLO

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar países da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que não financiam suficientemente a defesa coletiva do bloco, deixando de cumprir o compromisso de investir 2% de seu Produto Interno Bruto (PIB) em gastos militares.

As declarações foram dadas em um comício eleitoral do pré-candidato republicano realizado no sábado (10), no estado da Carolina do Sul.

Aparentemente relembrando alguma ocasião, que não especificou, Trump relatou: “Eu disse: 'Todo mundo vai pagar'. Eles disseram: 'Bem, se não pagarmos, vocês ainda vão nos proteger?' Eu disse, ‘absolutamente não.’ Eles não podiam acreditar na resposta.”, afirmou o ex-presidente.

Trump foi mais longe. Contou que, certa vez, um presidente de um grande país (ele não mencionou qual) lhe perguntou se os EUA ainda defenderiam este país caso ele fosse invadido pela Rússia.

O ex-presidente relatou, então, a resposta que deu na ocasião: “Não, eu não protegeria você. Na verdade, eu os encorajaria (a Rússia) a fazer o que quisessem. Você tem que pagar. Você tem que pagar suas contas.", declarou o republicano.

Reações às falas de Trump

Em resposta às declarações, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, acusou neste domingo (11) o ex-presidente dos EUA de "minar a segurança" dos países da aliança militar.

"Qualquer sugestão de que os aliados não se defenderão mutuamente mina toda a nossa segurança, incluindo a dos Estados Unidos, e coloca os soldados americanos e europeus em maior risco", declarou Stoltenberg em comunicado à imprensa.

O norueguês também expressou a esperança de que os EUA "continuarão a ser um aliado forte e comprometido" da OTAN "independentemente de quem vencer a eleição presidencial" que o país realizará em novembro de 2024, para a qual Trump é pré-candidato pelo Partido Republicano.

Quem também reagiu às declarações do norte-americano foi o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel. Ele acusou Trump de "servir aos interesses" do presidente russo, Vladimir Putin, e de não trazer "nem mais segurança nem mais paz ao mundo" com essas declarações.

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]