• Carregando...
O presidente da França, Emmanuel Macron
O presidente da França, Emmanuel Macron| Foto: EFE/EPA/LUDOVIC MARIN / POOL MAXPPP OUT

O Ministério das Relações Exteriores da França divulgou um comunicado neste domingo (11) em que pede que Israel interrompa os ataques à cidade de Rafah, na Faixa de Gaza, para evitar o que chamou de "um desastre humanitário".

"Israel deve tomar medidas concretas para proteger a vida dos civis em Gaza", comunicou o Ministério francês, completando ainda que “a França expressa a sua mais profunda preocupação na sequência dos ataques em Rafah.”

A cidade, localizada ao sul da Faixa de Gaza e na fronteira com o Egito, abriga mais de 1,3 milhão de pessoas que se refugiaram lá por causa dos combates e também é "um ponto de passagem vital para a ajuda humanitária", acrescenta a nota.

"Uma ofensiva israelense em grande escala criaria uma situação humanitária catastrófica de uma dimensão nova e injustificável", insistiu.

O comunicado afirma ainda que "a França se opõe a qualquer deslocamento forçado de populações, o que é proibido pelo direito humanitário internacional".

A nota encerra afirmando que "o futuro da Faixa de Gaza e dos seus habitantes só pode ser encontrado num Estado Palestino que viva em paz e segurança ao lado de Israel".

No sábado (10), a Arábia Saudita havia condenado “energicamente” os planos de Israel de estender a ofensiva militar a Rafah, no sul da Faixa de Gaza.

Tanto a ONU como os Estados Unidos expressaram preocupação com uma possível expansão da ofensiva israelense, com o Departamento de Estado americano alertando que uma operação militar no enclave sem planejamento adequado para a evacuação de civis seria "um desastre".

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]