• Carregando...
Presidente russo fez discurso por vídeo durante o fórum econômico dos Brics porque poderia ser preso se fosse à África do Sul
Presidente russo fez discurso por vídeo durante o fórum econômico dos Brics porque poderia ser preso se fosse à África do Sul| Foto: EFE/EPA/KIM LUDBROOK

Em participação por vídeo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, buscou antagonizar os países dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e o G7, ao apontar que as economias somadas do bloco já superam as dos países mais ricos do mundo em termos de paridade de poder de compra.

A fala de Putin ocorreu durante o fórum econômico do bloco, que abre a cúpula dos chefes de Estado dos Brics, que está sendo realizada na África do Sul.

“Em termos de paridade de poder de compra, os 'cinco' ultrapassam o grupo dos sete”, disse Putin, segundo informações da agência Tass. “A previsão para 2023 é de 31,5% contra 30% [do total mundial]”, enfatizou Putin.

O G7 é composto pelas economias mais desenvolvidas do mundo: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido. A paridade de poder de compra diz respeito a quanto uma determinada moeda pode comprar em termos internacionais.

Segundo a Tass, o presidente russo também destacou que os Brics somam mais de 3 bilhões de habitantes e quase 26% do PIB mundial.

Putin não participa presencialmente da cúpula do bloco, que vai até quinta-feira (24), porque o Tribunal Penal Internacional (TPI) ordenou sua prisão devido às deportações ilegais de crianças ucranianas para o território russo durante a guerra.

Como a África do Sul é membro do TPI, seria obrigada a prender o presidente russo caso ele fosse ao país.

No pronunciamento, Putin também afirmou que “a Rússia é favorável a estabelecer uma cooperação mais estreita dentro da estrutura dos Brics para o fornecimento confiável e ininterrupto de recursos energéticos e alimentares aos mercados mundiais”.

Porém, em julho, a Rússia saiu do acordo de grãos do Mar Negro, que durante um ano havia permitido a exportação de alimentos da Ucrânia a partir dos portos do país invadido mesmo com a guerra em andamento, o que elevou as projeções de alta dos preços e aumento da fome em vários países.

Nesta terça-feira, Putin voltou a afirmar que seu país é capaz de substituir os grãos ucranianos no mundo, tanto comercialmente quanto gratuitamente, como ajuda humanitária. (Com Agência EFE)

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]