• Carregando...
O novo primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk
O novo primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk| Foto: EFE/EPA/Piotr Nowak

O gabinete liderado por Donald Tusk prestou juramento na manhã desta quarta-feira (13) no palácio presidencial de Varsóvia, capital da Polônia, perante o presidente, Andrzej Duda, em um ato que dá início oficialmente à nova legislatura do país europeu.

Tusk, que na véspera venceu a votação de confiança no Parlamento por maioria absoluta graças ao apoio de uma ampla coligação de centro-direita, pretende viajar ainda nesta quarta a Bruxelas para participar de uma cúpula europeia.

O ex-presidente do Conselho Europeu foi eleito primeiro-ministro pelo Parlamento na chamada segunda etapa constitucional, depois de o governo de Mateusz Morawiecki, inicialmente nomeado primeiro-ministro pelo presidente polonês, não ter conseguido superar a votação de confiança na Câmara há duas semanas.

O Executivo recém-nomeado deve enfrentar desafios urgentes, como a preparação e aprovação dos orçamentos gerais em menos de duas semanas e implementar importantes reformas institucionais.

No campo da Justiça encontrará a oposição do presidente Duda, que é conservador e compartilhava ideias com o governo anterior.

No seu discurso desta quarta, Duda alertou Tusk que “deve fazer todo o possível para que a Polônia continue a ser um Estado soberano e independente na Europa”, em uma referência aos litígios judiciais com Bruxelas, e pediu ao novo governo que “mantenha as decisões que foram aplicadas e funcionaram bem" durante a última legislatura.

Uma das primeiras decisões do novo Conselho de Ministros será a realização de auditorias nos respectivos ministérios, bem como em todas as empresas públicas.

A expectativa é que haja substituições imediatas nas gestões da televisão estatal e da maior empresa da Polônia, o conglomerado energético Orlen.

Tusk governará em nome de uma aliança de mais de 15 partidos formada após as eleições de 15 de outubro e que obteve maioria absoluta com um programa liberal, progressista e pró-europeu.

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]