Michelle Bachelet redigiu relatório sobre atrocidades do regime de Nicolás Maduro
Comissária da ONU para os Direitos Humanos, a chilena Michelle Bachelet, redigiu relatório sobre atrocidades do regime de Nicolás Maduro| Foto: Cristian Hernandez/AFP

A Venezuela libertou 22 pessoas na noite de quinta-feira (4), incluindo a juíza María Lourdes Afiuni e o jornalista Braulio Jatar, informou nesta sexta-feira (5) a Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet. Os outros 20 são estudantes que estavam sob custódia do regime de Nicolás Maduro. A Venezuela também criticouorelatório divulgado por Bachelet na quinta-feira.

María Lourdes foi presa em dezembro 2009 depois de o ex-presidente Hugo Chávez exigir sua detenção. Ela ficou em prisão domiciliar entre 2011 e 2013, quando passou para liberdade condicional. Em março deste ano, no entanto, um tribunal venezuelano emitiu uma nova sentença de cinco anos de prisão para ela. Já o jornalista Braulio Jatar, que também possui a cidadania chilena, foi preso em setembro de 2016 na Ilha de Margarita um dia depois de um protesto contra Maduro, em um episódio agravou as relações diplomáticas entre Santiago e Caracas.