Guilherme Melo durante a premiação do WYCUP em 2021, nas Bahamas.
Guilherme Melo durante a premiação do WYCUP em 2021, nas Bahamas.| Foto: Arquivo Pessoal

Formado em Direito e com as preocupações sociais e ambientais inerente às gerações mais jovens, Guilherme Melo, 25 anos, já mostrou que tem potencial para “agitar o coreto” da pequena Cândido Mota, cidade de pouco mais de 31 mil habitantes localizada no Sudeste do Estado de São Paulo, divisa com o Paraná.

Liderança do Comitê Jovem da SicrediParanapanema PR/SP, em 2021 ele recebeu o reconhecimento internacional no WYCUP (World Council Young Credit Union People), nas Bahamas, por ter desenvolvido o Projeto Sabão Ecológico, iniciativa para transformar óleo usado e em sabão novo e que ajudou diversas famílias em vulnerabilidade social durante a pandemia de Covid-19.

Profissionais liberais e outros representantes do setor de serviços também fazem parte dos mais de 6 milhões associados da Sicredi no Brasil.
Profissionais liberais e outros representantes do setor de serviços também fazem parte dos mais de 6 milhões associados da Sicredi no Brasil.

O WYCUP é uma premiação concedida durante a Conferência do WOCCU (Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito, na tradução da sigla em inglês). E, “agitar o coreto” é uma expressão que nos grandes centros urbanos pode até soar estranha. Porém, nas cidades do interior significa “tirar a população da inércia”, “quebrar o tédio”, o “marasmo do lugar”. Isso porque até poucos anos era comum todas os municípios contarem com um coreto na praça principal, onde eram realizadas as festividades.

E se esse foi o desafio proposto a Guilherme, ele vem se dedicando. Desde que se associou ao Sicredi vem desenvolvendo projetos junto à comunidade. Além do Sabão Ecológico, ele realizou uma formação de educação financeira para um grupo de artesãs. “A maioria delas não conhecia um cartão de crédito, não sabia que poderia ter uma conta. Eram pessoas invisíveis para um banco”, recorda.

Guilherme se sente orgulhoso dessas iniciativas, por poder apoiar e impactar positivamente a comunidade local. “Hoje o cooperativismo no Brasil, falando do Sicredi de forma sistêmica, pensa nas pessoas, na comunidade onde a agência se instala. O objetivo é contribuir, chegar aonde outras instituições não chegam, com ações voltadas para o lado social. Esse é o grande diferencial”, destaca.